Gerenciadora de Belém do Pará, especializada em obras de médio e grande porte, vem se destacando por investir em inovação nos processos de planejamento e execução preditiva

construção civil

A cadeia produtiva englobada pela construção civil manifesta sinais efetivos de recuperação, depois de um importante período de retração relacionado ao cenário de crise econômica. Dados divulgados por entidades que acompanham oficialmente e numericamente o setor dão bons indicativos dessa retomada.

A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) aponta que o percentual de donos de negócios que pretende ampliar seu quadro de funcionários passou de 16%, em junho de 2017, para 36% em março deste ano, fazendo da construção civil uma das principais responsáveis por impulsionar a geração de empregos no país.

Os números apresentados na edição de junho de 2018 da Sondagem da Indústria da Construção – divulgados em parceria pela CBIC e pela CNI – reforçam o clima animador, apesar de continuarem sinalizando uma preocupação referente ao ainda reduzido nível de atividade. Uma clara percepção de que é preciso estimular a competitividade de todos os segmentos englobados.

Inteligência para incentivar a produtividade – Por sinal, a produtividade é apontada como um dos principais gargalos que reduzem o potencial econômico do setor que, se acompanhasse o pique produtivo de outras atividades, aumentaria em 2% a economia mundial. Dentre os principais fatores que comprometem essa vocação competitiva estão questões diretamente relacionadas à aplicação de inteligência de gestão na execução das obras. São dificuldades relacionadas, principalmente, a atrasos recorrentes, prazos não cumpridos e desperdício de recursos.

Com base na percepção dessa necessidade, a Eunos, gerenciadora especializada em planejamento e construção de projetos de médio e grande porte, sediada em Belém do Pará e com filial em São Paulo, trouxe ao mercado o pioneiro conceito de inteligência de obra, fundamentado em realizar diagnósticos, planejamento, acompanhamento e assessoria técnica focada em engenharia. O principal objetivo é garantir o cumprimento do plano de prazos e custos, viabilizando uma execução mais eficiente e com redução de possíveis prejuízos.

“A validação de mais de 18 anos de experiência de mercado, com um time altamente competente e profissional, nos dá visão de que, para ser mais competitiva e realizadora, a construção civil precisa encontrar soluções inovadoras. Essa é a base da aplicação desse conceito de inteligência de obra, que está trazendo resultados efetivos de eficiência e competitividade à nossa clientela, prioritariamente composta por indústria e centros de distribuição”, reforça Antônio Rezende, diretor da Eunos.

No conjunto de bons cases em que a noção de inteligência de obra foi aplicada, agregando operacionalidade e trabalhando a favor de uma tomada de decisão assertiva estão empresas como Distribuidora Colina, Banco da Amazônia – BASA, Quanta Engenharia e Frooty. E na esteira do sucesso da metodologia e do crescimento da importância e aplicação da digitalização na construção civil, a Eunos está trazendo ao mercado brasileiro outro produto altamente inovador. O Gero Obras é uma construtech (startup da construção civil) que se apresenta como o primeiro engenheiro digital do mundo, que fará o canteiro de obras trabalhar 100 % integrado ao planejamento.

Para entender a metodologia de inteligência de obra – A metodologia de inteligência de obra criada pela Eunos tem por base o uso de ferramentas para o gerenciamento de algumas das principais dores da execução de obras. A partir do foco em quatro pontos fundamentais, é possível garantir uma gestão de obra baseada em controle de cronograma e orçamento.

O ponto de partida é uma análise crítica e pontual que resulta no diagnóstico da obra. O segundo passo é um planejamento executivo detalhado, que hierarquiza a execução de todas as fases, vinculando tarefas para obter o sequenciamento executivo da construção, além de quantificar recursos, insumos e mão de obra, para a geração de um orçamento realista e realizável. O monitoramento surge como terceiro fundamento, a partir de instrumentos de controle semanal que calculam e validam metas de produtividade. Por fim, a metodologia propõe relatórios mensais de avanço de obras que baseiam processos de tomada de decisão.

Os grandes diferenciais da obra inteligente
• A partir de um cronograma bem definido, com atividades, estágios e atribuição de tarefas, acabam os problemas de sobreposição, tarefas extras, retrabalhos e atrasos;
• Os relatórios periódicos trazem informações precisas sobre o que acontece na obra, eliminando os problemas decorrentes da falta de dados ou da concentração de informações em um pequeno número de pessoas;
• O resultado disso são decisões fundamentadas em indicadores técnicos de desempenho que, além de mais assertivas, garantem operacionalidade, melhores resultados e cumprimento do planejamento de prazos e custos durante todo o processo construtivo;
• Outra grande vantagem é que, por esse monitoramento semanal e mensal, a operação é controlada e os recursos aplicados corretamente. Não há desperdícios, retrabalho ou desajustes no dimensionamento de cronograma e orçamento. É possível saber, de forma exata, quanto tempo e dinheiro faltam para a conclusão da obra.

O site da Eunos (http://www.eunos.com.br/) apresenta informações mais detalhadas sobre gestão inteligente em construção civil, os serviços, times e pressupostos seguidos pela gerenciadora. No blog, também acessível pelo mesmo canal, novidades, tendências e temas englobando eficiência e produtividade na construção civil.

Contato:
Eunos
(91) 2121-1588 / (11) 3090-6005
conheça a eunos
http://www.eunos.com.br