Linhas de financiamentos facilitam investimentos de pessoas físicas e jurídicas em energia solar e Brasil deve atingir 2GW de energia instalada até o final deste ano

energia solar

Segundo dados divulgados no início deste ano pela Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), o Brasil deverá ultrapassar a marca de 2 GW de geração de energia solar fotovoltaica em operação. De acordo com a entidade, pelo menos 85% da potência instalada é proveniente de usinas solares, também conhecidas como parques solares, resultado de quatro leilões de energia, localizadas, em sua maioria, no Norte, Nordeste e Centro Oeste. Já o segmento de geração distribuída formada por residências, comércio, indústrias, edifícios públicos, estacionamentos e zona rural evoluiu 150%.

Atualmente, a capacidade de energia instalada é suficiente para abastecer 500 mil residências do país, produzindo energia renovável, limpa, sustentável e competitiva capaz para atender o consumo de dois milhões de brasileiros.

Segundo Anaibel Novas, gerente da Unidade de Negócios de Energia Fotovoltaica da multinacional austríaca Fronius, “os projetos e as instalações estão ganhando escala, um fator extremamente importante para os fabricantes e para toda cadeia na geração solar fotovoltaica. Acreditamos muito no potencial do país. Hoje, graças a nossa empresa, o Brasil pertence a um seleto grupo dos 30 países que mais implantaram energia solar no mundo”, explica. Ainda de acordo com a Agencia Nacional de Energia Elétrica (Aneel) existem mais de 27 mil unidades consumidoras de energia distribuída.

Algumas linhas de financiamentos – Hoje existem várias linhas de financiamento para energia solar no Brasil direcionadas às pessoas física e jurídica. Só para ter uma ideia, nos municípios da área de atuação das agências de financiamento SUDAM (Superintendência do Desenvolvimento da Amazônia) , SUDENE (Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste) E SUDECO (Superintendência do Desenvolvimento do Centro Oeste) têm uma linha específica de financiamento na ordem de R$ 3,2 bilhões de reais com taxa real de juros na casa de 3% ao ano (somada a inflação ao redor de 6,24% e 7,33% ao ano) destinados à pessoa física, através dos bancos: Banco do Nordeste, Banco do Brasil e Banco da Amazônia.

A Caixa Econômica Federal (CEF) passou a aceitar projetos de energia solar em sua linha de crédito Construcard com juros em torno de 2,5% ao mês e pode ser parcelado em até 240 vezes em todo o Brasil. Está disponível para pessoa física e jurídica. Já o Banco Santander, através do Santander Financiamentos, disponibiliza crédito – tanto para pessoa jurídica como física – para a instalação de sistemas fotovoltaicos com parcelamento de até 48 vezes e a taxa de juros que varia de acordo com os valores, prazo e demais condições escolhidas pelo beneficiado. Os fornecedores e instaladores dos painéis credenciados no Santander Financiamentos possuem sede em diversos estados brasileiros e atendem em todo o território nacional.

O Banco BV possui uma linha de crédito especial para pessoas físicas que querem montar um projeto de placas solares para captação de energia no seu próprio imóvel. O interessado consegue financiar 100% do valor total do equipamento e da instalação e parcelar em até 60 meses. O benefício é possível em todos os estados.

No caso do estado de São Paulo, o projeto DESENVOLVE SP inclui o financiamento de sistemas fotovoltaicos voltado para pequenas e médias. O objetivo é reduzir em 20% as emissões de CO2 de São Paulo até 2020. O governo estadual criou a linha de Financiamento Economia Verde, parcelado em até 120 vezes.

Já o Sicredi, entre as linhas de crédito existente, possui uma em especial para quem deseja instalar energia solar. Seu diferencial é agilidade na liberação dos fundos e não há burocracia dos grandes bancos.

Referência mundial – Para se ter uma ideia, a Fronius vendeu no ano passado mais de 500 mil unidades de inversores ao redor do mundo. No Brasil foram mais de nove mil inversores. A empresa obteve crescimento de mais de 50% e o faturamento mundial foi de 130 milhões de euros nas três unidades de negócio (solda, carregadores de baterias e energia solar).

“Durante 2018, a Fronius continuará com fortes investimentos em pessoas e em estrutura para melhorar nossa capacidade operacional e logística. Estamos desenvolvendo parcerias estratégicas para melhorar o atendimento as demandas dos clientes e estamos aplicando ferramentas tecnológicas para aumentar a qualidade”, finaliza Anaibel.

Serviço:
Fronius
11 3563-3800
http://www.fronius.com.br